Textos

MESTRE ENTRE NÓS - MULHER QUE SE ACHA GORDA
O mestre e a moça que se achava gorda e isso ser ruim


O mestre meditava em seu pequeno altar dedicado a muitas espiritualidades, de modo que olhava no espelho a luz das velas que lhe traziam novas luzes à existência. Descobriu no perfume do incenso algo melhor que mero odor, algo que revelava certa modificação no astral. O mestre vinha energizado, apesar dos anteriores problemas digestivos, apenas uma barreira momentânea. Mas como o mestre já vencera inúmeros problemas de saúde, que para ele eram apenas linguagem existencial de seus erros na senda da vida. A prova da dor já o testara. De qualquer modo o mestre já conciliou a sua estadia nesse mundo, com a companhia espiritual, sendo assim que buscou auxiliar muitas pessoas. O mestre renasce a cada descoberta ao longo de sua missão cósmica, esperando não passar pela transição antes de completa esse desígnio das estrelas. Ocorreu então de ao sair comprar pão na padaria, próximo a sua residência, encontrou uma mulher que desejava falar de suas angústias, procurando algo mais pessoal, uma vez que em médicos e psiquiatras apenas encontrou um frio atendimento, receitas de remédios. Eis que ela estava na sombra que restava de uma árvore no outono, falando palavras afiadas que lhe atravessavam a alma:
 Mestre, você tem um tempo para mim, para eu falar de meus problemas?
 Não vejo em primeiro momento nenhum mal em teu corpo ou em tua alma. A tua aura é grande e não há nela duplicidade. A tua fisionomia revela uma tristeza em teu desenvolvimento, talvez ligada a um problema de carência paterna. Ainda vejo em tua sobrancelha uma ausência de amor, talvez revolta com relação aos homens.
 Como você sabe tudo isso sobre minha pessoa? Parece que você é meu amigo íntimo, conhecido de anos. Mas eu te conheci há sete dias e foi quando um amigo me falou sobre seu trabalho.
 Eu conheço muitas coisas, pois tive a experiência suprema. Nada para mim é oculto e vivo dentre vós como a palavra de um tempo. Pareço simples, até um bobo aos olhos dos profanos, mas há de vir o tempo em que meus discípulos me reconhecerão.
 Você acha que eu estou gorda? Eu me acho horrível.
 Você é uma pedra preciosa de Deus. Quanto a ser gorda, é uma imagem negativa que você faz de teu corpo. Farás um exercício: recorte uma foto do teu rosto e coloque sobre algum corpo que você gosta, de foto de revista, colocando em algum mural ou lugar de teu quarto onde você tenha contato constante, fixando assim uma imagem positiva em tua mente.
 Eu já imaginei quais serão as fotos que vou usar. Desejo que dê certo esse exercício. Talvez eu tenha mesmo um conceito errado sobre mim mesma, pois as pessoas dizem que sou muito bonita. Você é magro, gosta do teu corpo?
 O meu corpo é templo do Espírito Santo. Sou fruto da semente divina, germinado pelos patriarcas em sua adoração. Sou magro por não refletir a gula, como não ser escravo de outro defeito capital. Sei que os sentidos podem ser de uma dimensão espiritual e que se não usado para esse fim o corpo pode ser banalizado.
 Eu me sinto mais magra, talvez por aprender essas curiosidades contigo, mestre. Pensei em se afastar do corpo e me voltar para a religião. Agora você me diz que o corpo que é o templo? Que prova há?
 Há muitas, cara dama. A primeira é que o corpo a princípio sido glorioso, em Adão. Segundo que Abraão teria a sua aliança com Deus pela circuncisão, que é no corpo, no sexo. Terceiro que em filosofias orientais o domínio do corpo se revela instrumento de evolução também espiritual. Quarto que nos antigos mistérios egípcios os iniciados superavam certas resistências corporais, bem como a sua conservação de múmias. Quinto que Jesus partilhou seu corpo e sangue, em essência, tanto no vinho quanto no pão. Sexto, a ressurreição era e será do corpo, mesmo que seja de um corpo mais sutil ou renovado. Sétimo, o fogo sagrado está no corpo, e é através dele que se é salvo, desse batismo de fogo. Há muitos outros exemplos, e não importa o formato do corpo, se é magro ou gordo.
 Você fala de tanta coisa que sabemos de outro modo. Eu sempre fui alguém que deu bola ao corpo apenas após a adolescência. Tive alguns namorados que gostavam muito do meu corpo, mas achava que era para o prazer deles. Hoje eu mudei, apesar de ter esse complexo de me achar gorda. Mas acho ainda que posso ser bonita e feliz, até melhor que muitas magricelas.
 Deve saber que você é normal, maravilhosa e a moda não deve te desanimar. De qualquer sorte, você deve confiar mais em si mesma e aproveitar o que possui, aceitar as coisas e agradecer. Eu mesmo também já fiz certos exercícios para fortalecer o corpo, o que deu bom resultado. Importa mais a saúde e a felicidade que uma estética fundada no sacrifício.
 Eu me sinto melhor, pois contigo eu reflito mais. Você parece compreender o que eu sou e não vem só para me julgar. Numa aparente loucura que tive em fazer mil regimes desumanos, vi que não era a comida que iria transformar a minha vida. Tudo o que eu procurava na verdade era a felicidade, me sentir bem, não a usar remédio para emagrecer, que por fim me deixara muito raivosa e briguenta. Você sabe que tem gente enganando e ganhando dinheiro com esses remédios?
 E devem enganar, com ilusões rápidas de emagrecimento para compensar a busca da felicidade. Você tem de notar que o que importa é o amor, pouco importando o espelho. Escreva poesias, observe as coisas, os pássaros, o céu, as belezas que existem por todos os lados e você notará que as coisas são muito agradáveis e únicas. Veja tudo sobre outro prisma.
 Ver as coisas por outro lado é mesmo importante. Novamente eu agradeço a você mestre, que apesar de jovem, vem auxiliar em meus problemas como se tivesse vivido muita coisa. Achei que era melhor mesmo tomar uma atitude para viver melhor, apenas precisava de um empurrãozinho. A sua consulta espiritual me ajudou muito.
 Mas eu não sou herói, não me sacrifico. Não sou perfeito, pelo menos nenhuma perfeição desumana e artificial. Assim levei a tua imaginação esse filme de que somos perfeitos como somos, mesmo com esse corpo com o qual nos vestimos.
 Eu adoro roupas, se pudesse teria dez guarda-roupas e umas cem bolsas e sapatos. Gostei do teu exemplo.
 Meu exemplo é algo inefável. Há muitos ordálios a quem trilha a minha senda.
 O teu cabelo tem uma cor natural, meio avermelhada.
 O que eu tenho na cabeça o mundo tem como grandiosa herança. Há um mistério sagrado que vive em mim e despertará naquele dia.
 Engraçado esse teu mistério, parece que um dia será o centro do mundo. Eu preciso ir embora, mas vou regenerada por tua palavra.
 Vai e volte quando precisar ajuda.
 Voltarei tão breve com meu esposo e filhos, para que te conheçam e admirem.
 Será a minha casa um lar de portas abertas.
 Que muitos possam te conhecer e serem regenerados. Eu não sou mais gorda, isso era ilusão, agora me sinto bem.
 Que se perdure o seu lado de paz.
 Será de agora em diante pra sempre.
 Até, tchau.
 Esteja com Deus.
 Você também.

(DO LIVRO UM MESTRE ENTRE NÓS, à venda em www.agbook.com.br)
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 02/04/2013


Comentários