Textos

O dia de todos os santos e o dia das bruxas


 
Presenciamos com respeito o cuidado com os ancestrais, seja através da limpeza e reparo de sua última morada, seja através de orações, homenagens e mesmo através do perdão. Os finados são assim encaminhados a entrada no paraíso e ao desapego desse mundo, bem como informados sobre sua transição. Também nos mostra jovens comemorando o Halloween, em festividade das bruxas, e que essa ainda mais antiga, remonta a comemorações celtas de 3000 anos. Mas resta a homenagem aos antepassados, e o respeito por suas almas.

A cultura judaico-cristã não está afastada de respeitar os seus mortos. Mesmo porque isso implica também a doutrina da ressurreição dos mortos, e por isso de se guardar tanta importância. No livro da Bíblia de Macabeus, se fala das almas, e existe uma pré-existência da alma. Há no Taoismo chinês, que limpa túmulos no mês de abril, uma doutrina de 14 gerações, onde se deve essa reverência. Já as gerações da família de Jesus são 14, conforme o livro bíblico de Mateus, capítulo 1, versículo 17. Há o significado bíblico dos pecados dos pais, bem como a doutrina do purgatório (Católica), que já em cultura judaica é também citada, em livro do Talmude. Também uma religião em específico, os Mórmons (Igreja dos Santos dos Últimos Dias), tem o maior arquivo de histórias de família do mundo, sendo que é aconselhável se batizar as almas de antepassados na religião cristã, de modo que seu fundador, Joseph Smith, disse que a maior responsabilidade que Deus nos deu é de cuidar de nossos mortos.

Sobre a festa das bruxas, o Halloween, nós podemos lembrar de um dos quatro festivais do fogo, chamado de Samhain, ou a festa dos mortos, no dia 31 de Outubro. Nessa época a ajuda dos ancestrais era invocada para que oferecessem proteção e mesa farta para o clã. Hoje perpetuada pela religião Wicca, de modo que vemos muitos jovens comemorando a data, bem como apenas oferecendo uma outra linguagem para o mesmo momento e data. A palavra Halloween é derivada de All hallow’s Evening, que em inglês antigo significa Noite de Todos os Santos. Também suas práticas, como usar máscaras e pedir doces, servem para afugentar os mortos e os presentear. Ademais, para impedir pesadelos e incomodação por parte dos mortos.

Já no Japão, há a religião do Xintoísmo, onde também a veneração aos ancestrais é importantíssima. Um de seus preceitos diz que a nossa vida e a nossa personalidade são as dádivas de nossos nobres ancestrais. Hoje pela tecnologia conhecemos o DNA e a genética, e sabemos que muitas coisas vêm através da genética. Orar aos nossos doadores de gens seria em muito uma forma de interagir com o DNA, de modo a evitar doenças e males maiores. Em grande parte as doutrinas xintoístas são ainda propagadas pela religião chamada Seicho-no-iê, que tem ensinamentos elevados e leva muitos a melhora, somando saberes cristãos, de poder mental, subconsciente e tantos outros, fundada por Masaharu Taniguchi, e que aconselha a gratidão aos ancestrais. Há também a forma de se fazer um altar com fotos e coisas que lembrem os antepassados, os perdoando e agradecendo. Ainda, na China há o Festival das Lanternas Flutuantes, que serve para ajudar as almas daqueles que morreram afogados.

Fato é que o Dia de Todos os Santos não é exclusivo de nossa cultura ou religião. Também se contradiz que se homenagear os santos seja alguma forma de culto idólatra, uma vez que os padres da igreja já ensinaram a diferença entre adoração e veneração, e com relação aos santos, cabe essa última forma. Não se compara a idolatria, combatida na Bíblia, que se referia a asserás e baals, já deuses mais primitivos e de práticas estranhas de seus adoradores. Vemos que a doutrina do paraíso, bem como da ressurreição e várias de nossas crenças, e de alguns, como reencarnação, fazem com que respeitemos mais os antepassados e as almas, superando aquele materialismo e consumismo que nos afogam na cultura atual, nos afastando de nossas origens e de nossa família, das suas 14 gerações. Possamos que nem Jesus, lembrar essas gerações e superar a morte, trazendo a Vida para queles que nos acompanham.

 
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 06/11/2014


Comentários