Textos

O que melhora os homens é seu conhecimento. A sua vontade individual supera o comunismo de ideias. Assim cada um é respeitado em sua dignidade. O conhecimento do ser é mais importante que sua produção. Pois retornamos hodiernamente ao conhecimento por autonomásia. Assim, como em cada seis meses lançamos mais informação na rede mundial de computadores do que toda a história por outros meios, também temos em nosso ser mais conhecimento à disposição. As ideias podem não produzir nada a não o próprio desenvolvimento do espírito. O intelecto não necessita produzir, pois é produção por si mesmo. E mesmo que não signifique diretamente aquisição de propriedade de bens, na verdade descobre a verdadeira propriedade privada, que é o próprio conhecimento. Pois o conhecimento capacita para a aquisição de propriedade, e não a propriedade que leva ao conhecimento. As pessoas são independentemente de sua produção, uma vez que é o conhecimento que faz quem são. Uma vez que foi justamente o pensamento que garantiu a sobrevivência humana. Pensar foi o que levou a estratégia de caça, a semear alimentos e armazenar, a produzir mais com menos esforço na indústria, e assim por diante. Nenhuma revolução ocorrerá antes da crítica, nem progresso sem conhecimento. O ser está destinado a conhecer, e desde seu nascimento ele procura o que é novo a si mesmo. Não é assim um ser produzido, nem está em classe determinada, mas é um ser de natureza cognoscente. Dentro de cada período histórico então ele conhece de modo a se desenvolver de acordo com a energia estelar do mesmo, em sintonia com a natureza e o Cosmos, ou de modo que faça o que está destinado a fazer.


Parte de livro, A IDEOLOGIA BRASILEIRA, do autor, pela editora AG Book 

 
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 06/01/2015


Comentários