Textos



THOMAS HOBBES (1588-1679)
 
images?q=tbn:ANd9GcTQJzMripy-ZinnZMpdOZ83R5Dyi7WEYoteDOsOSkoLS3ROTw6iow

Thomas Hobbes nasceu em 5 de Abril de 1588, em Westport, próxima de Malmesbury, sendo inglês, filho do Vigário de Westport, sendo assim deixado com tio aos 7 anos. Com talento para estudos desde tenra idade, traduziu Medéia já com 15 anos, do grego ao latim. Disse que ao nascer, teve por irmão gêmeo o medo, haja vista seu parto prematuro com a chegada da Armada invencível a cidade. Hobbes era protegido na nobreza e preceptor de filhos de realeza. Estuda primeiro em Melmesbury. Tinha vocação para a física e matemática, sendo que é atribuído como um precursor da cibernética. Ele presenciou um momento singular da história, anterior a Revolução Francesa, mas contemporâneo a Guerra dos 30 anos e a impasse entre parlamento, Cromwell e o Rei, sendo que esse rei foi tirado do poder, ficando em seu lugar uma espécie de militarismo. Cromwell estando no poder, e sendo Hobbes lord protetor de reis, se exila do outro lado do canal da Mancha. Assim ele achou uma explicação para colocar um homem no poder, ou restabelecer aqueles que queria agradar. Tinha ele de explicar o que aconteceu com o rei da Inglaterra. Escreveu diversas obras, não sendo muito lembrado que fez também tradução de obras importantes e clássicos, mas de suas obras recorda Do Cidadão, Leviatã, Tratado do direito natural, Diálogo entre o filósofo e o jurista etc. Sua primeira obra foi a tradução de A guerra do Peloponeso, de Tucídines. Mas a obra mais famosa foi Leviatã, que ele insanamente dedica a Igreja, não sendo porém bem visto pela obra. Um bispo até acusou Hobbes de ateísmo, e seus livros foram ainda queimados em público, em Oxford. Essas acusações levaram ele a estudar jurisprudência profundamente para se defender, uma vez que a acusação de heresia e ateísmo eram sérias e fatais. Mas em Leviatã, esse monstro bíblico presente no livro de Jó da Bíblia, retrata o seu tempo e a possível solução. Assim o monstro mostra o “homem lobo do homem”, em seu estado de natureza e selvagem, que o torna mal, e o Soberano poderia através da sociedade e Estado socializar, civilizar esse homem, através do contrato social. Essa ideia de homem lobo do homem foi emprestada de uma tragédia grega, de Plauto. Também a ideia de contrato social já era grega. Esse estado de natureza como guerra de todos contra todos. E esse seria o direito natural. O lobo era mostrado naquele que tomou o poder por um banho de sangue, que foi Cromwell. Também leva a diversos progressos jurídicos, como o tema da segurança jurídica e do ideal de justiça. Então esse Estado é exaltado e se pode aí pensar numa base de códigos legais religiosos, como o judaico-cristão. O rei era mesmo entendido como representante divino, e por isso em muito comungava com a Igreja seu poder. Mas o ideal renascentista queria apenas um rei governando e mesmo interpretando as Escrituras Sagradas, estando acima de igreja. Então esse homem social deixa de ter sua plena liberdade, para não abusar da liberdade, em troca de segurança jurídica. Só se é livre com o soberano, que constitui uma antinomia. Certo é que Hobbes também tenta superar o pensamento da escolástica, e mesmo todo aquele ideal medieval. Assim um trio autonomia-vontade-liberdade. Com relação a autonomia é ampliada com Kant, em sua concepção de dignidade. A liberdade parece ser ampliada pela própria Revolução Francesa e mesmo pela americana. O interesse desse governo absoluto era apenas interno, e não internacional. Para o âmbito internacional não colocava Hobbes a mesma regra, podendo sim se resolver as coisas pela guerra. Isso vai de encontro ou mesmo de interesse a Nova Ordem Mundial, que mantém conflitos pequenos para estar acima de qualquer grande conflito ou nova revolução. Logo em nível internacional para Hobbes o homem continuava sendo o lobo. Há assim o liberalismo econômico. Mas com a morte de Cromwell, seu filho não conseguiu bancar o governo. Assim por fim restauraram a monarquia na Inglaterra. Volta Hobbes do exílio e recebe uma boa pensão dos Stewart, em troca de seus ensinos do passado. Mas fato é que Thomas era contemporâneo de Galileu, e assim projetou muitas ideias da ciência para a sua filosofia. Também de Newton, e assim a física superava a visão do divino, com leis materiais e explicações no mesmo sentido, um tanto empíricas e humanistas. Também amigo do rosacruz Francis Bacon, para o qual ajudou a traduzir obras. Mas em seu oposto havia John Locke, que era mais jovem que Hobbes. Também ele teve contato com cartesianos. Mas é inegável sua contribuição para a ciência política. Morre em Dezembro de 1679, com extraordinários 92 anos.




 
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 28/01/2016


Comentários