Textos

WILLIAM JAMES (1842-1910)

 
images?q=tbn:ANd9GcQ6MvzFGseK3_A8Wg__HFH0MlIa8WwSffsoa0qgqZjClsIqpjKJvw
 

William James nasceu em 9 de Janeiro de 1842, neto de imigrante irlandês, filho de Henry James e de Mary Robertson Walsh, de família rica e em clima intelectual. Seu pai era adepto da filosofia transcendentalista e amigo intimo de Emerson, Thoreau e outros. Quando criança era ativo, e seu irmão, Henry, que depois seria romancista, era mais pacato e contemplador. O transcendentalismo de seu pai era uma reação de otimismo frente ao pessimismo de calvinistas. Quando criança não era esnobe, convivendo com crianças que falavam palavrão. Frequentou diversas escolas entre treze e dezoito anos, na Inglaterra, Suíça, França e Alemanha. Inclusive na Suiça participou de um grupo de debate científico, e era considerado amigão. Depois estuda em Harvard, Química, Anatomia e Fisiologia. Na verdade ele se interessava por um vasto campo das ciências. Foi assim um naturalista. Inclusive participou de expedição ao Brasil, para estudar peixes no Amazonas, mas contrai varíola e tem problema com a visão depois desse ocorrido. Voltando aos EUA, estava convencido que seria professor de filosofia. Assistiu uma palestra de Pierce e gostou muito do pragmatismo, apesar de não entender a palestra. Nos passos do pai, bem como de Emerson, Henry James também foi otimista, mas sua realidade não era sempre boa como via Emerson, mas poderia se tornar boa. Vivia em um tempo de grandes industriais, como Rockfeller, Morgan, Carnegie e outros. Casou com Alice Gibbens, que era observada pelo seu pai e sugerida em momento anterior por seu pai, mas como William era muito independente, não aceitou na época a sugestão de casamento do pai, mas depois acaba se casando com Alice. Sobre a aparência da esposa, ela possuia grandes olhos escuros e brilhantes, suave cabelo castanho e pele rosa silvestre. Com uma saúde um pouco instável, acaba William James melhorando após seu casamento, de modo que entende milagroso. William apoiava as pessoas, tendo uma visão pluralista das coisas. Isso se estendeu para com a religião, ademais. Em seu Universo pluralista, Deus também é um companheiro do homem, e assim algo que faz sentido, é a Emoção Cósmica, em relação a Ele, mostrando também um tom místico. Assim também na psicologia se pode adaptar as relações internas às externas. A mente faz a adaptação ambiental. Com ele começa o pragmatismo como ciência. Antes ele sofria de depressão e chega a pensar inclusive em suicídio. Mas deu a volta por cima. Por fim, sofria de fraqueza do coração, e em uma experiência de passeio teve problema. Depois pede para sair de Harvard. É também considerado um empirista radical. Fez depois uma última excursão a Europa, e voltando de viagem, todos sabiam que seus dias estavam contados. Falece em 26 de Agosto de 1910.
















 
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 13/11/2016


Comentários