Textos

FRIEDRICH ENGELS (1820-1895)
 
Z
 
 
Friedrich Engels nasceu em Barmen, distrito de Wuppertal, Renania, na Alemanha, em 28 de Novembro de 1820, filho de Friedrich Engels e Elise, assim de uma família acomodada protestante, religiosa e conservadora, de pai rico, que era empresário de tecidos, em Manchester, na Inglaterra, família com oito filhos. Estuda em escola no ginásio de Elberfeld, um dos melhores da Prússia, mas não a conclui, porque seu pai o leva a trabalhar no escritório de sua empresa. Passa a Universidade de Berlim e se interessa por movimentos revolucionários e pelo movimento da Jovem Alemanha, e na linha de hegelianos de esquerda. Desde jovem é influenciado por poeta Heinrich Heine e pelo filósofo Hegel. Observa na indústria do pai que trabalhadores trabalhavam doze horas por dia e outras explorações, e assim estuda essa situação e escreve algo a respeito. Adere assim ao socialismo e tem duradoura e produtiva amizade com Karl Marx, com mútua colaboração, por Marx publicar os artigos de Engels em seus jornais, e ainda por ambos escreverem juntos o “Manifesto do Partido Comunista”, “A Ideologia Alemã”, “A sagrada família” e outros trabalhos. Engels tem fundamental importância no pensamento divulgado por Marx, mas pareceu esse último ficar com a fama. Porém o cabeça parecia ser em muitos casos Engels. Cabeça e bolso, uma vez que era quem financiava Marx, e chega inclusive a lhe ajudar em registro de filho com empregada. Também Engels que continua o trabalho de “O Capital”, à partir de manuscritos de amigo. Usava o pseudônimo Friedrich Oswald para escrever os artigos e frequentou o Clube de Doutores. Colaborou também com a revista Northern Star, dentre outras. Serviu ainda militarmente em um regimento de artilharia em Berlim, de forma voluntária. Após trabalha na fábrica de tecidos em Manchester. Também relevante em sua obra é o livro “A origem da família, da propriedade privada e do Estado”, onde mostra o desenvolvimento da família e uma transformação que coloca a luta de classes na luta de gêneros. Assim o que era antes matriarcal, poliandrico, ou de poligamia, se torna patriarcal e monogâmico. A importância econômica dessa família foi um aparente foco da obra, apesar de se basear no trabalho de Lewis Henry Morgan, que estudou por 40 anos famílias de povos primitivos, em especial tribos norteamericanas. Enfim, com a mulher independente e no trabalho, se acaba com a família, e assim vemos nossa sociedade atual. Porém, mais uma vez forças ocultas operaram nisso tudo, e não pareceu tanto a finalidade popular o objetivo de Engels. Como disse Hagger1: “Engels queria converter a sociedade secreta socialista Liga dos Justos (que era uma extensão dos Illuminati) às ideias comunistas. Engels teve sucesso pois, como vimos, o Manifesto Comunista foi encomendado pela Liga Comunista, antes Liga dos Justos ou Liga dos Homens Justos. Essa liga era uma ramificação da Liga Parisiense dos Proscritos, fundada por membros dos Illuminati (todos maçons do Grande Oriente) que fugiram de Paris para a Alemanha quando os Clubes Jacobinos foram fechados no final do Reinado do Terror, na Revolução Francesa”. Assim era mais uma peça desse “engajamento” que esconde interesses maiores, fatos de uma história oculta. Também lembra David Icke2: “São apenas cartéis diferentes, nada mais, todos controlados finalmente, pelas mesmas pessoas. O Comunismo foi criado pela Wall Street e pela City de Londres para gerar intenso medo e conflitos que foram usados com grande efeito para levar adiante a Agenda. Como sempre, tudo foi planejado muito antes de vir ao conhecimento do público. O Manifesto Comunista foi escrito por (ou para) Karl Marx e Friedrich Engels. Marx era um estudante do ocultista Alemão Bruno Bauer (Rothschild) (…)”. Os interesses econômicos moviam mesmo as coisas, até mesmo os críticos aparentes do sistema. Esse Bruno Bauer era outro nesse sentido. Então, os líderes sempre foram intelectuais servindo a grupos poderosos, e o povo nada partilha disso tudo. Tanto que atualmente o presidente russo e norteamericano dão as mãos. Após a morte de Marx, Engels assume a liderança das coisas. Engels era um herdeiro do renascimento, que falava 37 idiomas. Faleceu, por fim, de câncer, em 5 de agosto de 1895.
1HAGGER, Nicholas. A História Secreta do Ocidente. p. 305.
2ICKE, David. O Maior Segredo. p. 230.
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 24/12/2016
Alterado em 24/12/2016


Comentários