Textos


HENRI WALLON (1879-1962)
 
2Q==

 
Henri Paul Hiacynthe Wallon nasceu em 15 de junho de 1879, em Paris, França, e foi um psicólogo francês e professor no Colégio da França, diretor de estudos da “Escola prática de altos estudos” e diretor do “Instituto de investigações psicobiológicas da criança, de Paris”. Ao lado de Piaget e Vygostski, se mostra como expoente de estudo nesse sentido. Em 1902 se formou em Filosofia, formando-se também em Medicina e Psicologia, na École Normale Superieur. Além de presenciar as duas guerras mundiais, atuou na Primeira Guerra cuidando de pessoas com distúrbios psiquiátricos, e também observando soldados com válido trabalho em neurologia. Algumas de suas publicações são inclusive de obrigada referência em neuropiscologia, tais como o do ato ao pensamento, das origens do caráter da criança, bem como de psicologia genética. Foi assim médico psiquiatra em diversas repartições particulares. Utilizou do marxismo como corrente filosófica, participando de Círculo da Rússia Nova em 1931, e filiado a Partido Comunista em 1942, onde esteve até a morte. Porém, por suas ideias aristocráticas e progressistas, foi perseguido pela Gestapo. Pois já na época da guerra se mostrou contrário a qualquer forma de ideologia política totalitária, como o fascismo. Foi professor da Universidade de Sorbone, lá ministrando conferências sobre a psicologia da criança. Assim reconheceu a importância da afetividade no ensino infantil. Lecionou também em outras universidades. Lá que funda o laboratório de psicobiologia da criança. Assim se dedica a educação do menino problemático. Seu envolvimento político ainda fez criar o “Comitê internacional de coordenação de ajuda para a Espanha republicana”. Também assumiu a presidência da OIE (Escritório internacional pela infância), em defesa dos direitos da criança, espécie de precursora da UNESCO. Teve assim um projeto para a educação de crianças logo após a guerra, o que não foi praticado pelo governo. Sua obra se centra no desenvolvimento educativo da criança. Uma espécie de psicologia do desenvolvimento. Assim classificou por faixas etárias esse desenvolvimento, lembrando Piaget. Por certa obra sua estar comprometida com política comunista, provocava certa desconfiança nos EUA. Seu primeiro trabalho foi intitulado “Delírio da peseguição”, mas obras como “Evolução psicológica da criança”, “Psicologia e educação da infância” e “Origens do pensamento na criança”, podem ser mais conhecidas, em português. Se deve segundo ele observar tanto o aspecto social, quanto biológico. Quatro fatores: a emoção, o outro, o meio e o movimento. De certo modo antecipava uma teoria sistêmica. Assim herda pensamento marxista e critica tanto o empirismo mecanicista, quanto o idealismo racionalista. Mas tem um conceito unitário do indivíduo, e não dualista. O desenvolvimento humano pode se dar tanto pelo inato, como pelo adquirido. Mas de central é a importância da afetividade nesse desenvolvimento da criança. Wallon faleceu em 1° de dezembro de 1962, em sua cidade natal.

 
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 26/02/2017
Alterado em 26/02/2017


Comentários