Textos


FERNAND BRAUDEL (1902-1985)

2Q==

Fernand Braudel nasceu em 24 de agosto de 1902, em Luméville-en-Ornois, no departamento de Meuse, na França, filho de um matemático natural, e foi um historiador francês e importante representante da Escola dos Annales. Estudou com seu pai, além de estudar latim e grego. Considerado um dos maiores historiadores modernos e um dos precursores da teoria dos sistemas-mundo. Aos 20 anos se torna agregado em História e leciona numa escola na Argélia, ficando fascinado pelo Mar Mediterrâneo. Lecionou ainda em Pasteur, Henry-IV e Condorcet, na França, vindo a conhecer Lucien Febvre, também fundador dos Annales. Chegou a se apresentar no Brasil, em São Paulo, numa aula. Em 1937 ele estava em doutoramento sobre o Mediterrâneo, quando ingressa na escola dos Annales. Ingressou também na escola EPHE como docente de História. Estudou então em Sorbone e nessa EPHE, da qual chegou até a ser Diretor. Então escreveu sobre a política mediterrânea de Felipe II e se familiarizou com o mundo muçulmano, e pesquisou além de arquivos franceses, por arquivos italiano e yugoslavos. Alistou-se em 1939 na Segunda Guerra, e seu trabalho foi interrompido pela mesma, quando ele fica por cinco anos prisioneiro em campo alemão de Lübeck, mas pôde dedicar esse tempo ao trabalho científico, conseguindo escrever numerosos capítulos, o que fez de memória. Daí em 1947 consegue exemplares do “Mediterrâneo”, que em dois volumes surpreende a comunidade de historiadores. Entendia que os fenômenos estruturais que mais afetavam a vida social, e que assim chamou de história lenta. Assim relacionava isso até com a geografia, entendendo ser espécie de estrutura terciária, numa distinta aceleração evolucionista. Em 1949 foi professor do Colégio da França e da EPHE, e membro da Academia francesa desde 1983. Em 1962 usou a garantia da Fundação Ford e fundos do governo para criar a “Fundação Maison de ciêcnias do homem”. Aposentou-se em 1968. Entre 1967/69 publica a segunda parte da grande obra, “Civilização Material, econômica e capitalista”. Em 1970 publica o segundo volume da “História econômica e social da França”, e em 1978, “O Mediterrâneo”. Outras obras suas são “As civilizações atuais”, “A dinâmica do capitalismo” e a “História das ciências sociais”. Uma marca sua é a sensibilidade para com os menos favorecidos e marginalizados, observando a vida de escravos, camponeses e pobres. Escreveu ainda inclusive um livro sobre bebidas, da qual falou da cerveja1:




















Nesse livro ainda ele fala no vinho, na sidra e ainda no tabaco. Faleceu em Cluses, em 27 de novembro de 1985.



 
1BRAUDEL, Fernand. Bebidas y excitantes. p. 21.
Mariano Soltys
Enviado por Mariano Soltys em 15/03/2017
Alterado em 15/03/2017


Comentários